A Feira do Empreendedor 2018, que aconteceu de 7 a 10 de abril e foi organizada pelo Sebrae, reuniu diversos estandes que ocuparam o pavilhão do Anhembi Parque em São Paulo.

Eu visitei a feira e inspirada nas palestras realizadas durante o evento, escrevi uma série de artigos sobre marketing, empreendedorismo, inovação, criatividade, negócios online e mercado e vendas.

Neste segundo artigo, escrevi sobre a história de sucesso e empreendedorismo de Ricardo Sayon, fundador da rede de lojas de brinquedos RiHappy.

História de sucesso da RiHappy

Ricardo Sayon é médico e antes de se tornar empresário trabalhou muitos anos como pediatra em sua clínica particular em São Paulo. Um dia ele decidiu montar uma loja de brinquedos em um pequeno imóvel que não utilizava.

O nome RiHappy foi uma brincadeira com o nome de Ricardo, demonstrando sua felicidade ao abrir o empreendimento. No início a pequena loja não dava lucros, então um amigo resolveu entrar como sócio para ajudá-lo a administrar o negócio. Para aumentar as vendas, decidiram abrir mais três lojas e todas as quatro começaram a gerar dívidas.

Preocupado, Sayon tentou vender as lojas e não conseguiu. Decidiu então entrar em contato com as fabricantes dos brinquedos que vendia para negociar a devolução dos itens e foi surpreendido. Uma das marcas se ofereceu para ensinar algumas técnicas de venda, com a condição de que os sócios abrissem mais três lojas físicas.

Durante mais de 25 anos como empresário Sayon aprendeu que quando se decide empreender é preciso fazer as perguntas certas.

As principais perguntas que um empreendedor deve fazer antes de abrir o próprio negócio são:

  • O que é que eu sei?

O que não se sabe sobre o ramo de atuação, deve ser aprendido. Observar o mercado e as lojas dos concorrentes no Brasil e no exterior é importante para encontrar um nicho e criar um diferencial. Descubra o que você conhece a respeito daquela área que escolheu para trabalhar.

  • Quem eu sou?

Pesquise e estude sobre prestação de serviços e venda de produtos, descubra qual é a sua missão. Pergunte-se: quem você quer ser quando for grande? Reflita sobre os seus valores e crie os valores da sua empresa.

  • O que eu quero?

Os valores que regem a empresa devem ser passados a toda a equipe – incluindo fornecedores e clientes.

  • O que farei?

O planejamento do negócio é muito importante, portanto, elabore o Planejamento Estratégico. Observe que os funcionários precisam ter o perfil da empresa. Compartilhe informações de utilidade pública, recrute profissionais que se identifiquem com a marca e com o público que atenderão, invista em treinamentos para que o atendimento seja excelente e para que o público se identifique com a marca e crie ações de endomarketing para engajar os funcionários e os clientes.

O empresário contou que a cultura da empresa sempre foi diferente. Desde quando o negócio começou, as vendedoras – que são chamadas de operadoras de loja – recebem um treinamento para orientar os pais sobre o uso correto de cada brinquedo e a idade apropriada para a criança brincar com cada um.

“Eu sabia que precisávamos criar uma identidade com as crianças. Brinquedo é um produto que quem compra não usa e quem usa não compra. Era preciso criar um vínculo com quem o usa. Como nós já tínhamos um logotipo, decidimos criar um personagem. Assim surgiu a Turma do Solzinho, com diversos produtos como o Clube do Solzinho e uma revista para o público infantil. O Solzinho virou o herói da marca. As crianças não querem lojas de auto-serviço, elas querem lojas encantadoras”, revelou Sayon.

Segundo ele as campanhas de endomarketing foram as ações mais interessantes montadas ao longo dos 25 anos da empresa. “Todas as campanhas de endomarketing que fazemos revertemos uma parte para a loja, outra para os funcionários e outra para a sociedade. Elaboramos diversas campanhas que fizeram sucesso ao longo desses anos: desde a realização de sonhos de funcionários até a doação de prêmios e imóveis. Essas histórias verídicas emocionantes viraram até um livro sobre solidariedade”.

Sayon contou que quando ele observa uma empresa, as primeiras coisas que identifica são o caráter, as qualidades, os defeitos e as manias. De acordo com ele, a empresa absorve a personalidade dos seus fundadores.

“Ser empreendedor é se exercitar todos os dias. Empreender exige gostar do que se faz – que é muito diferente de fazer somente o que se gosta -, muita dedicação, renúncia, persistência e bom humor”, aconselhou ele.

Anúncios