A Feira do Empreendedor 2018, que aconteceu de 7 a 10 de abril e foi organizada pelo Sebrae, reuniu diversos estandes que ocuparam o pavilhão do Anhembi Parque em São Paulo.

Eu visitei a feira e inspirada nas palestras realizadas durante o evento, escrevi uma série de artigos sobre marketing, empreendedorismo, inovação, criatividade, negócios online e mercado e vendas.

Neste terceiro artigo, escrevi sobre a história de como Camila Farani se tornou um tubarão no programa Shark Tank Brasil – Negociando com os Tubarões, versão brasileira do game show televisivo estadunidense que passa no canal Sony Entertainment Television.

Conheça a história de Camila Farani do programa Shark Tank Brasil

Camila Farani é uma investidora-anjo de recursos financeiros, conhecimento e networking. Camila começou como microempresária e utilizou o modelo de negócios das startups para empreender.

O pai de Camila morreu devido a um câncer de pulmão e a mãe era proprietária de uma charutaria, influência empreendedora que a empresária teve durante sua infância e adolescência.

Camila se formou em Direito e enquanto fazia faculdade ela trabalhava para pagar os estudos. Um dia decidiu propor à mãe uma mudança nos negócios: no lugar do tradicional café com pão de queijo, um cardápio com cafés gelados. Ela convidou duas amigas da faculdade para fazer coquetelaria na frente dos clientes – o público era 90% masculino.

A empresária uniu café, sorvete e bebidas alcoólicas para criar cinco produtos diferentes e propôs à mãe que, se ela conseguisse aumentar 30% do faturamento, queria um percentual da sociedade.

Depois de trinta dias, o faturamento aumentou 28%. Esse tinha sido o maior faturamento ao longo dos últimos quatro anos, por isso, Camila conseguiu a sociedade com a mãe – nessa época ela tinha 21 anos.

Com o dinheiro que economizou Camila investiu em mais dois estabelecimentos.

Com o passar do tempo, os clientes começaram a pedir comidas saudáveis. Camila enxergou uma oportunidade de criar um modelo de cafeteria que oferece salada pronta e sanduíches em formato italiano com uma equipe de atendentes vestidas com uma roupa branca e lilás.

“Diversas pesquisas americanas revelam que os nossos pensamentos e comportamentos são influenciados pelas cinco pessoas com as quais mais convivemos, por isso, precisamos escolher bem essas pessoas”, refletiu Camila.

Os três primeiros meses de faturamento do estabelecimento foram péssimos. Para não fechar as portas – já que tinha investido todo o seu dinheiro – Camila resolveu fazer uma reunião com dez clientes.

O estabelecimento ficava localizado dentro de um shopping no Rio de Janeiro – que recebia uma média de 140 mil pessoas por dia – e era o único que não tinha muito movimento.

“O conselho mais valioso que recebi de um cliente foi que eu tinha criado um negócio para mim mesma e não para o público. A identidade visual não estava de acordo com o segmento, pois escolhi a cor rosa. Eu tinha criado um novo conceito mas os clientes não o conheciam. Foi então que eu fiz um reposicionamento de marca e mudei o nome do restaurante. Depois disso, comecei a ter fila na porta e os lucros aumentaram muito a partir do sexto mês”, contou.

Inesperadamente surgiu um convite do ex-presidente da Mundo Verde, que tinha comprado recentemente a loja no Rio de Janeiro e convidou a empresária para ser diretora-executiva e sócia.

Depois de dois anos a empresária estava infeliz. Ela descobriu que nasceu para ser uma mulher de negócios e não uma diretora executiva.

Camila pediu demissão e usou todo o conhecimento que adquiriu durante esses dois anos de aprendizado. Ela criou o Grupo Bossa, produziu a própria marca de café, abriu mais duas cafeterias e um espaço de eventos, vendeu mais de três milhões de refeições e recebeu um prêmio por estar entre as dez melhores coffee shops do Brasil.

Hoje Camila Farani também é professora e compartilha suas vivências em sala de aula. Ela descobriu que adora compartilhar conhecimentos com outras pessoas.

“Mais de 80% dos empresários que dirigem as grandes empresas vieram do nada porque sabem fazer uma coisa: calçar as sandálias da humildade. É preciso saber se reinventar constantemente”, argumentou.

Camila Farani compartilhou as maiores lições aprendidas ao longo da trajetória profissional:

  • Faça benchmarking e tenha atitude

É preciso pesquisar a concorrência direta e indireta. Não deixe de abrir um negócio por achar que já existem outros naquele segmento. Busque um diferencial para o mercado já existente. O papel da liderança é fazer as pessoas acreditarem em si mesmas.

  • Invista em construção de patrimônio intelectual e financeiro

Planeje como fazer o seu negócio crescer sem demandar a sua presença constante.

  • Descubra qual é a sua estratégia

Elabore quais são os seus objetivos e descubra onde você quer chegar. Pesquise e trace as estratégias para alcançar os seus objetivos.

  • Enfrente os seus medos

O medo é um mecanismo de defesa. Sentir medo é normal, portanto, aceite os desafios e enfrente os medos.

  • Tenha um mentor

É importante ter mentores, pois eles são profissionais mais experientes. O mentor precisa ser humilde e compartilhar suas experiências de gestão.

Anúncios