Uma marca pode representar uma empresa ou uma pessoa. Você já parou para pensar que cada um de nós é uma marca, uma empresa e um negócio? Trabalhando dentro das empresas ou de forma independente precisamos produzir, atingir metas e gerar resultados.

Se as pessoas são marcas, as marcas também são como pessoas. A reputação e a marca de uma empresa (ou de uma pessoa) são a chave mestra do negócio. Elas abrem portas, conquistam o público e ajudam a construir histórias. Quando o cliente se identifica com os produtos ou serviços que está usando, ele cria um vínculo com a marca.

Vivemos uma nova Era. A Era do ser ao invés de ter. A Era onde a informação vale mais do que a compra e os relacionamentos são virtuais e não mais presenciais. Os tempos são outros. Vivemos a Era onde práticas de velocidade e praticidade substituíram as de qualidade e veracidade. O consumo consciente, a alimentação saudável, o cuidado com a saúde, as ações sociais, a sustentabilidade, a reciclagem e a reutilização, a Governança Corporativa, a sinceridade, a relação com os stakeholders e a necessidade constante de gerar valor e criar ativos conquistaram o espaço e imperam.

Essa Era Pós-Digital mudou as relações afetivas, de trabalho, o estilo de vida, as relações entre as pessoas, entre os países e entre as empresas e as marcas.

Cuidar bem da sua marca e fazer uma gestão do brand é essencial. Para gerar resultados é preciso estar sempre atualizado em relação ao mercado, público-alvo, tendências e desafios.

Para te ajudar a conhecer um pouco mais as ferramentas, definir processos e estabelecer critérios para prosperar, elaborei algumas dicas valiosas que aprendi ao longo da minha carreira:

1. Gere diferenciação

Uma marca que simboliza uma empresa, um serviço, produto ou uma pessoa precisa ter um diferencial no mercado e ser única.

As marcas são como pessoas: possuem identidade, DNA, qualidades, personalidade, valores e princípios. Precisamos construir marcas com sentimentos, características próprias e afetividade.

Defina a essência da sua marca, construa um Plano de Valor: estabeleça os objetivos de curto, médio e longo prazos, o nicho de mercado, o diferencial, avalie as oportunidades, os desafios, as responsabilidades e as tendências do mercado e entenda o seu público.

2. Crie valor

Observe os canais de comunicação e de contato com o público e transforme cada um deles em uma jornada de conhecimento e inovação, surpreendendo positivamente o consumidor. Crie uma imagem para a sua marca e deixe que ela se expresse em todas as atividades desenvolvidas interna e externamente.

O slogan, as cores, as palavras-chave, os sons, os aromas e as formas de demonstrar afetividade são atributos importantes para atrair, inspirar, marcar, fidelizar e tornar-se inesquecível, criando experiências únicas e construindo histórias.

3. Use a criatividade e inove

O mercado de consumo é regido pelas percepções, práticas e comportamentos da marca. O consumidor sempre utiliza critérios emocionais e afetivos mais do que os racionais na hora de efetuar uma compra.

Portanto, observe o comportamento e a personalidade das pessoas, os valores e o estilo de vida do seu público. Entregue o que ele precisa e não consegue encontrar, de forma diferente.

Eu assisti a apresentação de um concerto da harpista italiana Alessandra Magrini e tive o privilégio de acompanhar o lançamento de seu mais novo projeto: “Música com Perfume Francês”. Depois de uma carreira bem-sucedida como solista de harpa em Paris, Alessandra lançou um perfume chamado “Concerto” da marca Fragonard. A harpista percorre o mundo junto com outros músicos de diferentes nacionalidades (formando um quinteto que reúne instrumentistas da Itália, Espanha e França) para fazer apresentações e aproveita para vender a sua linha de perfumes que combinam aromas voltados para equilibrar coração, mente e corpo – misturando chá, flores e frutas.

Durante a apresentação o público recebeu amostras gratuitas do perfume Concerto. A artista conseguiu alinhar a música com o perfume, de uma forma criativa e inovadora. O perfume francês já é conhecido como o melhor do mundo. Aproveitando que o seu público já é formado por pessoas que possuem um gosto bem específico – avaliando esse nicho que gosta de música clássica e assiste às apresentações dela – Alessandra encontrou um ponto de interesse e equilíbrio que pode ser muito bem explorado.

Inovar, recriar, se adaptar às tendências e mudar constantemente são atitudes importantes para o progresso e sobrevivência da empresa.

4. Construa um relacionamento sincero e seja transparente com o seu público

Os funcionários são os primeiros clientes. Transforme-os em Embaixadores da sua marca, faça-os acreditarem no que estão vendendo.

A sua marca precisa gerar valor social, ambiental, econômico e emocional. A sustentabilidade e a preocupação com a felicidade da comunidade precisa estar presente na gestão e nas práticas da empresa, impactando diretamente os negócios e o relacionamento com o público.

Seja sempre honesto e transparente com os seus funcionários e com os seus clientes. Preocupe-se com os problemas deles e tente resolvê-los da melhor forma possível. O maior objetivo de uma empresa é resolver problemas de forma criativa e positiva.

5. Construa uma reputação baseada nos seus valores

Quais são os valores que regem a sua marca? Qual é a importância deles no trabalho desenvolvido dentro e fora da empresa? Estabeleça o seu valor e crie um relacionamento baseado na confiança com os seus stakeholders, ou seja, todos os públicos com os quais você se relaciona – desde os colaboradores, os acionistas e os investidores até a comunidade e os consumidores.

Marcas fortes precisam ter uma visão de mundo, uma crença, uma causa, compartilhada por todos os funcionários e clientes.

6. Gerencie com elegância e bom senso as redes sociais

Todos os canais de comunicação e as redes sociais precisam ser gerenciados com paciência, atenção e foco. Administrar as redes sociais não é apenas postar textos e fotos. É preciso estar atento aos comentários do público, registrar os feedbacks, curtir, responder e até saber se posicionar diante de dúvidas e reclamações.

Todos os comentários devem ser respondidos, sejam eles positivos ou negativos. Interesse-se verdadeiramente pelos problemas e reclamações dos clientes. Investigue, converse com os envolvidos e encontre soluções. Procure uma forma agradável e afetiva de fazer o cliente perceber que erros acontecem mas que serão fonte de aprendizado.

Treine os funcionários que atualizam as redes sociais para lidar com as reclamações, críticas negativas e discussões. Uma resposta bem elaborada pode evitar problemas futuros e prevenir crises.

7. Ouça mais a sua intuição

O cenário no qual a empresa está inserida também é responsabilidade da marca. É preciso criar pilares fortes e sólidos para que haja uma evolução consciente e constante. Uma marca é influenciadora e multiplicadora. Mantê-la forte e com uma reputação firme e congruente exige paixão, conhecimento, intuição e foco.

Lembre-se que o trabalho é composto de 90% transpiração e 10% inspiração. O maior desafio é executar. So, “let’s get to work”.

Mente focada + coração determinado + equipe engajada = SUCESSO.

8. Seja afetivo

Quais são as expectativas e desejos do seu público? Como entregar experiências emocionais, vivências e criar um vínculo? Os benefícios emocionais, ou seja, afetivos, são mais importantes do que os racionais.

Como criar um relacionamento afetivo, efetivo e duradouro com os seus clientes? Encontre formas de demonstrar a cada um dos clientes, de forma exclusiva, personalizada e afetiva, que ele é importante para a empresa e que a marca está disposta a deixá-lo sempre satisfeito e feliz – de forma honesta e transparente.

Anúncios