Como o bom líder contribui para a formação de equipes mais colaborativas

 

Conta a história que dois cortadores de pedras talhavam blocos quadrados de granito. Alguém passou na rua e perguntou-lhes o que estavam fazendo.

O primeiro operário, com uma expressão amarga, resmungou: “Estou cortando esta maldita pedra para fazer um bloco”.

O segundo, que parecia feliz com o seu trabalho, replicou orgulhosamente: “Faço parte do grupo que está construindo uma catedral”.

O trabalhador que pode vislumbrar toda a catedral e que recebeu responsabilidade de participar de sua construção é uma pessoa muito mais satisfeita e produtiva do que aquela que vê somente o granito diante de si.

O líder é aquele que faz o projeto da catedral e em seguida compartilha com os outros a visão que o inspira a construí-la.

Todos nós precisamos ser líderes de nós mesmos e dos grupos aos quais estamos inseridos. Isso significa ser protagonista da própria história, inspirar todas as pessoas que estão ao nosso redor e ajudar o próximo sem pensar em adquirir algo em troca.

A criação de vínculos e de afetividade com todos os profissionais com os quais convivemos pode ser estreitada através de atitudes simples de respeito e escuta ativa.

“Aqueles que ocupam cargos de liderança podem aumentar o amor-próprio de seus empregados ao compreender o que estes esperam de seu trabalho, quais são os seus objetivos e como querem progredir. E a força poderosa que está por trás de uma saudável autoestima produzirá a confiança e a criatividade necessárias para enfrentar os novos desafios que surgem constantemente durante o percurso”, escreveu Jan Carlzon.

Requisitos para ser um bom líder:

  • Não seja pedantista
  • Não seja reclamador
  • Não seja inconstante
  • Não seja egoísta
  • Não seja precipitado
  • Não seja antipático

 

Anúncios